Estamos em Manutenção # We are in Maintenance Bem Vindos a Este Espaço # Welcome to This Space

19 de junho de 2015

Estudo da Fé - Teologia 19.11 - Capítulo 3 - O Que é a Fé? Parte 1

Estudo da Fé - Teologia 19.11


Capítulo 3

O Que é a Fé? 
Parte 1

Agora, a fé é a substância das coisas que se espe­ram, a evidência das coisas que se não vêem.
Hebreus11.1 (KJV)
Na versão de Moffat, lemos em Hb 11.1 que "agora a fé significa que temos confiança no que esperamos, e convicção naquilo que não vemos". Na versão moderna, lemos: "A fé é o dar substância... às coisas que se esperam".

A Diferença Entre a Fé e a Esperança
Deus está dizendo que a fé significa agarrar as irrea-lidades da esperança e trazê-las para a dimensão da realidade. Muitas vezes, em se tratando de receber o Espirito Santo, ou a cura física, ou a resposta de um pedido de oração, muitas pessoas estão somente espe­rando receber estas bênçãos.

A Fé é Para Agora
Não é a esperança que realiza a tarefa; é a fé. Alguém diria: "Creio que serei cheio do Espírito Santo algum d/a". Tal declaração não expressa fé, e sim esperança, pois a esperança sempre aponta para o futuro. Já a fé aponta para agora, para o exato momento presente.
Por exemplo, a fé diz: "Recebo agora; creio que recebi agora a resposta da minha oração". Precisamos enten­der que em se tratando de receber algo de Deus, funcio­na assim.
Os mesmos princípios que se aplicam ao recebimen­to do batismo com o Espírito Santo, também se aplicam, por exemplo, à cura, ou às respostas das orações.
Os princípios da fé são os mesmos em qualquer área, seja para finanças, para o batismo com o Espírito Santo, para a cura divina, ou para qualquer outra petição.
Se você aprender os princípios da fé, será fácil rece­ber de Deus qualquer coisa que esteja de acordo com Sua Palavra.
Sei por experiência que em se tratando de receber o Espírito Santo, a cura divina, ou a resposta de uma oração, muitas pessoas estão simplesmente esperando que Deus as ouça quando orarem, ou esperando receber sua res­posta.
Lembro-me de certa campanha de avivamento que realizamos numa tenda de lona, em Waco, Texas, a alguns anos. Começamos a campanha no domingo à noite. Preguei uma mensagem evangelística, e na noite seguinte preguei sobre a fé. No terceiro dia realizamos nosso primeiro culto de cura.
A fila de oração tanto servia para a cura quanto para o batismo com o Espírito Santo.
Preguei sobre imposição de mãos, e depois de ter feito o apelo para a salvação, passei a impor as mãos para a cura e para o batismo com o Espírito Santo.
O primeiro homem da fila veio para receber o Espírito Santo. Perguntei-lhe: "Você crê que será cheio do Espí­rito quando impuser as minhas mãos sobre você e orar?"
"Espero que sim, irmão Hagin", ele disse.
"Bem, então você não o será", respondi.
Minha frase o deixou zangado. Como queria ajudá-lo e não deixá-lo zangado, disse-lhe: "Você não recebe nada de Deus pela esperança. É pela que você recebe".
Ele disse: "Não sei se receberei ou não, por isso não direi que irei receber".
Então respondi: "Se eu quisesse lhe dar uma nota de cem dólares, diria você: 'Não sei se receberei'?"
"Certamente que não", ele disse.
"Bem", disse, "Deus quer lhe dar uma dádiva que é tão fácil de receber quanto seria pegar uma nota de cem dólares que lhe oferecessem".
Ele respondeu: "Sim, mas tenho buscado o batismo com o Espírito por muito tempo, por volta de treze anos, e por isso não sei se receberei ou não".
Então respondi: "Bem, irmão, estou aqui para ajudá-lo. No entanto, não aconteceria nada se impusesse agora minhas mãos sobre você. Então sugiro que você se sente na primeira fila para ouvir e observar. E saberá a diferença entre crer e duvidar, entre a fé e a esperança".
Oramos por cura, e então fomos até uma mulher que queria receber o batismo com o Espírito Santo. Pergun­tei: "Você é uma cristã?"
Ela respondeu: "Bem, faço parte de uma igreja".
Disse-lhe: "Você compreende que poderia fazer parte de uma igreja sem ser convertida? A salvação não é questão de ser membro de uma igreja, e sim de nascer de novo".
Ela respondeu: "Sim, sei disso, e já nasci de novo".
"Aceito seu testemunho", respondi.
Perguntei-lhe então: "Você crê no batismo com o Espírito Santo com a evidência do falar em línguas?"
Ela respondeu: "Certamente que sim, pois está na Bíblia; está na Palavra de Deus. Tudo o que você pregou está na Palavra. Certamente receberei o batismo com o Espírito Santo".
Percebi que estava pronta, pois vi sua fé,em ação. Então levantei minha mão para impô-la em sua fronte, e mal a ponta dos meus dedos tocara em sua testa, quando ergueu suas mãos e instantaneamente come­çou a falar em línguas.
Então disse ao homem que estava sentado na primei­ra fila: "Percebe a diferença entre esperar receber o Espírito Santo e realmente crer que receberá?"
Ele respondeu: "Sim, percebo".
Na sexta-feira à noite ele voltou, e era o primeiro da fila de oração.
Disse-lhe: "Bem, vejo que você voltou".
Ele respondeu: "Sim, e gostaria de dizer que minha esperança transformou-se em fé. Somente imponha as mãos sobre mim, que serei cheio do Espírito nesse exato instante".
Estendi minhas mãos para impô-las nele, e mal o tocara quando levantou suas mãos e começou a falar em outras línguas!
Os resultados do crer em Deus são bastante diferen­tes da simples esperança por se receber alguma coisa — em se tratando de receber o Espírito Santo, a cura, ou a resposta de uma oração.
Aquele homem disse que procurara pelo batismo com o Espírito Santo por 13 anos, mas na realidade somente estivera esperando receber o Espírito. E você não rece­be nada de Deus pela esperança. Você recebe de Deus pela fé.
Fé X Esperança, na Oração de Concordância
Lembro-me de outra ocasião, em que certa mulher veio a mim depois de uma reunião e disse: "Irmão Hagin, gostaria que você concordasse comigo. Durante seu ensino, você usou Mateus 18.19, onde Jesus diz:... se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que porventura pedirem, ser-lhes-â concedida por meu Pai que está nos céus.
Disse: "O que você quer que eu concorde?"
"Tenho que dizer?"
Respondi: "Não podemos orar em concordância se não souber o que estamos concordando".
"Meu marido ganha o suficiente no seu emprego, mas surgiu uma emergência e precisamos de US$ 100 adi­aonais. Não sei de onde virá. Mas sei que Deus pode nos ajudar".
Disse-lhe: "Certamente que ele podelEntão você quer que entre em concordância com você que Deus irá prover cem dólares adicionais para este mês".
"Sim, é isso", respondeu.
Disse: "Então vamos concordar. Irei orar, e você deve ouvir enquanto oro. Você deve concordar com o que oro, pois se orarmos ao mesmo tempo, você poderia ir para uma direção e eu para outra. Concorde em seu espírito agora".
Então orei e lembrei ao Pai que concordávamos de acordo com Sua Palavra. Disse: "Estamos na terra, e o Senhor disse que se dois de nós sobre a terra concorda­rem a respeito de qualquer coisa que pedirem, então o Senhor o faria por nós".
Disse: "Concordamos em receber estes cem dólares adicionais nesse mês. Obrigado, Pai, porque recebemos a resposta. Está consumado".
Imediatamente ela começou a chorar, e disse: "Irmão Hagin, espero que sim".
Respondi: "Bem, então não recebemos a resposta, pois não concordamos, pois você está esperando e eu estou crendo".
É por isso que algumas de nossas orações não reali­zam a tarefa ao nosso favor. Certamente, não é culpa de Deus se nossas orações não têm efeito. Se suas ora­ções não operam, a culpa não é de Deus, porque Ele nunca falha. A culpa não é de Jesus, porque Jesus nunca falha.
Deus não muda, e a oração não muda a Deus. Ele é exatamente o mesmo, antes, durante e depois da sua oração. A oração muda as circunstâncias, mas não muda a Deus. Ele sempre é o mesmo, e isso significa que Ele sempre é fiel à Sua Palavra (Hb 10.23 e 13.8; Rm 4.20,21).
A doutora Lilian B. Yeomans disse algo que li há * alguns anos atrás e que nunca esqueci, e que tem sido uma grande bênção para mim.
Ela disse: "Se orar por qualquer coisa, e não obtê-la, começo a mudar, pois se não há resposta, deve haver mudança em mim antes que a resposta possa vir. Sei que não pode haver qualquer mudança da parte de Deus, porque ele nunca muda. Se é necessária qualquer mudança, tem que ser deste lado da linha de comuni­cação. Então, se orar e não receber, começo a mudar*.
Segui este princípio e descobri que sempre funciona cem por cento do tempo. Precisamos perceber que não podemos substituir a fé pela esperança e continuarmos recebendo as respostas de Deus.
Não me entenda mal. Se você colocar a esperança no lugar certo, ela será uma grande e maravilhosa bênção na sua vida. Paulo disse em 1 Coríntios 13.13: Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três: porém o maior destes é o amor.
Paulo não disse que a fé e a esperança não eram importantes; ele simplesmente disse que o maior dos três é o amor. Mas cada um deles tem o seu lugar.
Por exemplo, você não pode substituir o amor pela esperança, nem a esperança pela fé. E ainda, sei pela experiência de ministrar a milhares de pessoas, durante esses anos, que muitas pessoas estão tentando receber sua cura, ou o batismo com o Espírito Santo, ou as respostas de suas orações, firmadas na esperança, ao invés de firmadas na fé.
Sei que substituem a fé pela esperança por causa daquilo que as ouço dizer. Muitos dizem para mim: "Se você tirar minha esperança não tenho mais nada".
Respondo: "Não, não tirarei sua esperança. Só estou mostrando a você que sua esperança está no lugar errado; você está tentando fazer com que a esperança realize algo que somente a fé pode fazer: receber de Deus.




Que o Santo Espirito do Senhor, ilumine o nosso entendimento
Não perca tempo, Indique esta maravilhosa Leitura
Custo:O Leitor não paga Nada, 
Você APENAS DIVULGA
E COMPARTILHA

Reações:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...