Estamos em Manutenção # We are in Maintenance Bem Vindos a Este Espaço # Welcome to This Space

22 de outubro de 2016

Fundamentalismo - Teologia 24.20 - Neo-Evangelicalismo - Inimigo Atual do Fundamentalismo

Fundamentalismo - Teologia 24.20

Um dos inimigos atuais do FUNDAMENTALISMO é o NEO-EVANGELICALISMO. Vejamos o seu conceito:

NEO-EVANGELICALISMO (A cumplicidade com o erro, conduz e eqüivale ao erro)

* Citação de John E. Ashbrook - "Axiomas da Separação" Pg.14-15

- Dr. Harold John Ockenga [Neo-evangélico] que criou o termo NEO-EVANGELICALISMO assim o definiu: "O neo-evangelicalismo surgiu em 1948... [como] um repudio do separatismo e às convocações ao envolvimento social, pois divergia do fundamentalismo no repúdio á separação e na determinação em comprometer-se com o diálogo teológico atual".

* 3 Pontos acima mostram a diferença entre Fundametalismo e Neo-Evangelicalismo: (Comentário de Asbrook)

[1] Repudia o separatismo; sendo esta a sua premissa mais fundamental;
[2] Convoca ao envolvimento social; o que nos leva de volta ao evangelho social modernista.
[3] Expressa determinação em comprometer-se como o diálogo teológico atual .
* Citamos a seguir, partes do estudo "Os perigos do Neo-Evangelismo do Professor J.B.William:
" O surgimento do Comprometimento - O Neo-Evangelismo. Ironicamente, o Neo-Evangelismo começou como resultado desta perda. É um movimento para acomodar o humanismo com o liberalismo. O evangelismo das massas do Fundamentalismo perdeu a atração das massas. O Neo-Evangelismo, juntando-se em um esforço evangelístico com os liberais e os católicos, descobriu que a freqüência melhorou grandemente. Uma vez que não se enfatizava todo o conselho de Deus e considerando que o liberalismo era tolerado, resultou um grande número de "profissões de fé". Os convertidos eram encorajados a retornar às suas igrejas apóstatas ou a se juntarem a qualquer igreja de sua escolha [método usado nas campanhas de Billy Graham, Luis Palau, no Brasil vemos alguns afamados pregadores tipo Caio Fabio].. Do evangelismo inclusivo, o Neo-Evangelismo passou para os seminários, para os púlpitos, para as juntas de missões e outras organizações . ... Os perigos do Neo-Evangelismo [ou Neo-Evangelicalismo]: [1] Tornar o "amor cristão" mais importante do que a sã doutrina como base para comunhão cristã, leva ao desastre...Sem a sã doutrina não há amor cristã (I Jo 5:2,3; [2] A constante reconsideração, reinvestigação e a "mente aberta" para com os fundamentos da fé, inclusive a inerrância das escrituras, leva a deterioração da fé...; [3] Torcer as Escrituras em um esforço de acomodar as chamadas descobertas e cientificas, inclusive a evolução, é intelectualmente desonesto... [4] Pregar apenas uma assim chamada "mensagem positiva" (geralmente expressa pela declaração "Deus me chamou para ganhar almas, não para criticar os outros") é ignorar o fato de que estamos batalhando pela fé (Jd.3); [5] Preferir a comunhão com os apóstatas em lugar dos fundamentalistas confunde as linhas de batalha. Dá impressão que a apostasia deve ser aceita como bíblica... [6] Torna a igreja cada vez mais um instrumento de alterações sociais através de programas de interesse humanitário é perder completamente o conceito bíblico do homem perdido e a responsabilidade da grande comissão; [7] Considerar a oposição à apostasia uma coisa inaceitável porque é "cismática" é errar o alvo completamente e cheira a covardia; [8] Permitir a possibilidade dos dons-sinais, línguas, cura, etc. - neste período da igreja pode dar vantagem junto aos carismáticos, mas leva a um grande engano dos crentes ingênuos e incultos e canaliza os fundos para a extorsão religiosa.

" A sobrevivência do Cristianismo histórico será por causa dos seus defensores e não dos seus defensores e não por causa dos que fazem concessões. Depois de 30 anos, o Neo-evangelismo é um fracaso; não atingiu o alvo pretendido [que era dialogar com os totalmente liberais, para trazê-los para um cristianismo mas conservador]. Não há indicação de um retorno à fé Bíblica histórica por parte dos liberais. A Neo-Ortodoxia continua usando a linguagem conservadora para com a incredulidade liberal. A criação de novas palavras para descrever a mesma incredulidade, entretanto não a torna bíblica. Dentro do grupo de Neo-Evangélicos tem aparecido um grupo radical que apoia o movimento da libertação feminina, ordenação de mulheres para o ministério cristão e advogando a aceitação de homossexuais dentro da igreja. O Neo-Evangelismo, no seu estágio de afastamento da fé histórica, vai, dentro de uma geração, diferir do liberalismo apenas no nome
" Do lado positivo, os fundamentalistas militantes não podem ceder terreno à chamada ciência, filosofia ou intelectualismo, onde houver conflito com a Palavra de Deus. Como também os fundamentalistas não vão considerar a Bíblia numa estrutura humanística para determinar a verdade. O Fundamentalismo não usa a ciência e a arqueologia para "provar" que a Bíblia é a Palavra de Deus. Ninguém tem esta prerrogativa. A Bíblia é a Palavra de Deus apesar da "falsamente chamada ciência" (deve referir-se aqui a teoria da evolução, que é ensinada não como teoria, mais como ciência) [Este estudo saiu originalmente em Janeiro de 1991, no "FAIT FOR THE FAMILY, e em junho de 1982, no jornal o "Presbiteriano Bíblico"].

Que o Santo Espirito do Senhor, ilumine o nosso entendimento
Não perca tempo, Indique esta maravilhosa Leitura
Custo:O Leitor não paga Nada, 
Você APENAS DIVULGA
E COMPARTILHA
.

Reações:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...