Estamos em Manutenção # We are in Maintenance Bem Vindos a Este Espaço # Welcome to This Space

5 de novembro de 2016

Fundamentalismo - Teologia 24.35 - Teologia Liberal Que Querem Implantar no Brasil - Seminário Batista

Fundamentalismo - Teologia 24.35

* OUTRO EXEMPLO DO TIPO DE TEOLOGIA LIBERAL QUE QUEREM IMPLANTAR NO BRASIL VEM DE UM PROFESSOR DO SEMINÁRIO BATISTA DA CONVENÇÃO DE FORTALEZA.

- Cito a seguir trechos do discurso de formatura com que este professor {paraninfo da turma], desafiou a primeira turma de formando daquela instituição, "futuros pastores", que se seguirem os conselhos do "mestre" [falso], farão grande destruição nas igrejas cristãs. Vamos ao discurso:

MARCUS DE AQUINO RESENDE [Fortaleza-Ceará - 03/FEV/1995]
"..Permitam-me ainda dizer que este discurso dirige-se... àqueles que não se perderam em suas convicções e paradigma [doutrina sistematizada] e, agoira, neste exato momento, não se encontram cegos pela nuvem de pseudo-intelectualismo e surdos pelo tampão do fundamentalismo de suas convicções."
- Aqui para ele os fundamentalista estão surdos em suas convicções doutrinárias e taxou de pseudo-intelectuais e de estarem surdos aos apêlos que vêm do mundo secular, a quem ele apela constantemente de modo que num discursos de formatura de pastores ele não citou a Bíblia nenhuma vez sequer, porém analisemos os teólogos e pessoas que ele citou em lugar da Bíblia para embasar seu discurso:
Citou HANS KUNG [Teólogo católico contemporâneo tão liberal que foi deposto de seu direito de ensinar pelo Vaticano. Nega infalibilidade das Escrituras, e a considera muitas de suas histórias como incertas, contraditória e lendárias. Aprenda Cristo como um exemplo a ser seguido e não como um salvador divino em que se pode confiar];
Citou KARL MARX, apoiando a afirmação antropocêntrica de Marx [Marx, foi o pai do Comunismo ateísta]; Eis a citação de Karl Marx: "o homem não é um ser abstrato, agachado fora do mundo. O homem é / sua essência / o mundo do homem, o estado, a sociedade.
Citou apaixonadamente Martin LUTHER KING [Pastor Batista ecumênico e neo-liberal que se afastou do fundamentalsimo bíblico, e que se baseava na teologia existencialista de PAUL TILICK, que com sua teologia da cultura, embora dissesse que a existência e realidade do homem se baseia em Cristo, afirma que a estrutura e o significado desta realidade podiam ser compreendidos somente por meio de mitos e símbolos, que ele diz claramente se encontrarem na mensagem bíblica. Conforme Vernon C. Grounds, Paul Tillick colocava em dúvida a própria historicidade de Jesus Cristo e acrescenta: "Não hesita, na realidade, em impugnar a veracidade de quase a totalidade do registro nos Evangelhos" ].
Citou Friedrich NIETZSHE (1844-1900 - Filósofo da Europa continental que se opnha amargamente à religião, que segundo Colin Brown "No presente momento está sendo festejado como o membro fundador da escola da Morte de Deus na teologia". Marcus Resende cita um dos personagens de um dos livros de Nietzche, vejamos: "Deveríamos ouvir o profeta Zaratustra, gritando em praça pública: - Deus morreu, Deus morreu!
* É para este falsos mestres da filosofia e da teologia liberal-modernista [que de moderna só tem o palavreado sofisticado, porém tudo não passa da ressurreição de velhas heresias apostatas do passado] que Resende diz que nós fundamentalistas estamos surdos para elas. E por isso eu posso dar graças a Deus, por esta santa surdez. Porque a surdez dele é para com a santa doutrina e se aplica a ele o que Paulo disse em 2 Tm. 4:3,4 "Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres, segundo as suas próprias cobiças, como que sentido coceira nos ouvidos e se recusarão a dar ouvidos a verdade, entregando-se às fábulas".
* Continuando no Dicurso de Marcus Resende, que em amarga rejeição a teologia fundamenalista, como um corpo de verdade teológicas já definidas e aceitas, citando e endossando um de seus companheiros de liberalismo ele diz: " O medo da teologia pode ser entendido como: medo de pensar como teólogo - medo de si mesmo; medo de falar como teólogo... A nossa prática teológica não do "teologuês papagaial"" - Ou seja, para Resende repetir o ensino doutrinário já definidos há muito tempo atrás, é agir como papagaio, que só repete o que ouve. O curioso é que todo o seu discurso de 11 páginas, não tem nada de original, tudo é repetição ou nos termos dele, ’papagaição’ dos filósofos e teólogos liberais. Ele desafia os futuros pastores em lugar de ensinar a velha teologia, eles mesmo devem "FAZER TEOLOGIA". O interessante é que Resende diz o que para ele e outros pastores liberais o que é a tarefa de ‘fazer teologia". Ouçamos o "mestre": "...Fazer teologia para nós é estar ao vento falando frases feitas num picadeiro de circo." - Ele ainda tem a audácia de dizer que a evangelização que criou a igreja evangélica brasileira foi, em suas palavras: "um processo colonizador, escravizador e alinienador. Há mais de cem anos que fomos induzidos a não pensar como brasileiros, a cantar hinos que não têm nada com a nossa cultura como se fossem a única inspiração de Deus". - *Esta contextulaização cultural reclamada por Resende [que é papagaição de teólogos liberais como Paul Tillick], é nada mais do que a tentativa de acomodar o Cristianismo a uma cultura especifica que os liberais nunca conseguiram fazer sem descaracterizar o próprio Cristianismo. Os missionários pregaram o evangelho como eles sabiam, e, é uma desonestidade [pra não dizer mentira], falar que o missionários vieram com a espressa missão de implantar a cultura norte-americana no Brasil.
* Quanto ao fato de Resende dizer que: "A mais de cem anos fomos induzidos a não pensar como brasileiros, a cantar hinos que não têm nada a haver com a nossa cultura ", é um grave erro de lógica, pois, para ele e para os liberais, o que seria a música que tem a ver com a nossa cultura é o SAMBA, que veio da Afríca com os escravos {usada originalmente para invocar espíritos da religiões africanas], portanto não de origem brasileira, mas que com o passar do tempo e o uso se incorporou a cultura brasileira; O ROCK [e os RÍTMOS DA MÚSICA POP DERIVADOS DELE]; foi originado nos anos 50, veio dos Estudos Unidos da América, portanto não fazia parte da cultura brasileira, mas novamente com o passar do tempo e o uso se incorporou a cultura brasileira. Se usamos essa lógica para aceita as músicas estrangeiras, por que usar de outra medida com as música tradicional evangélica que tem mais de 100 anos em solo brasileira, e que também, com o passar do tempo e o uso, ficou incorporada a cultura brasileira, de modo, que é mais violação cultura enfiar as músicas com Ritmos de ROCk, SAMBA, e outras, do que as músicas tradicionamente evangélicas.


Que o Santo Espirito do Senhor, ilumine o nosso entendimento
Não perca tempo, Indique esta maravilhosa Leitura
Custo:O Leitor não paga Nada, 
Você APENAS DIVULGA
E COMPARTILHA
.

Reações:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...