Estamos em Manutenção # We are in Maintenance Bem Vindos a Este Espaço # Welcome to This Space

1 de dezembro de 2017

História De Israel – Teologia 31.83 - Aitofel Dà um Conselho a Absalão Que Teria Arruinado Davi (Livro 7 Cap 9)

História De Israel – Teologia 31.83
 
CAPÍTULO 9

AITOFEL DÁ UM CONSELHO A ABSALÃO QUE TERIA ARRUINADO COMPLETAMENTE A DAVI. HUSAI ACONSELHA EXATAMENTE O CONTRÁRIO, E É OUVIDO. HUSAI MANDA AVISAR DAVI. DESESPERADO, AITOFEL ENFORCA-SE. DAVI APRESSA-SE EM PASSAR O JORDÃO. AMASA É ESCOLHIDO COMANDANTE DO EXÉRCITO DE ABSALÃO, E ESTE PARTE PARA ATACAR O REI SEU PAI. ABSALÃO PERDE A BATALHA. JOABE MATA-O.

287. 2 Samuel 17. Absalão perguntou depois a AitofeI de que modo deveria agir naquela guerra. Ele respondeu: "A morte do rei vosso pai é o único meio que tendes para assegurar a coroa e salvar aqueles aos quais a deveis. Se me quiserdes dar dez mil homens escolhidos dentre todas as vossas tropas, prestar-vos-ei esse serviço". Tal conselho agradou a Absalão, mas ele quis saber a opinião de Husai, a quem considerava ainda o melhor amigo de seu pai. Disse-lhe da opinião de AitofeI e perguntou a dele.
Husai, julgando que Davi estaria perdido se Absalão seguisse o conselho de AitofeI, deu-lhe outro, totalmente oposto: "Vossa majestade conhece o extremo do valor do rei vosso pai e o daqueles que estão em sua companhia, de que não é necessário melhor prova, pois ele sempre sai vitorioso em todas as guerras que empreende. Ele sem dúvida está agora acampado. E, como ninguém é mais perito que ele na arte da guerra, não haverá estratagema de que não se sirva. Colocará uma parte de suas tropas no vale ou por trás das rochas, e, quando as nossas atacarem as que estiverem visíveis, ela fugirá para junto das que estão ocultas, fazendo-nos cair numa emboscada, para depois todas ao mesmo tempo se atirarem sobre nós. A presença do rei vosso pai, que sem dúvida lá se encontrará em pessoa para elevar-lhes o ânimo, fará com que os nossos, de modo inverso, percam a coragem. Por isso, sem nos atermos ao conselho de Aitofel, julgo que vossa majestade deva reunir prontamente todas as vossas forças e tomar o comando, sem confiar nos outros. Assim, se o rei vosso pai vos enfrentar, estará tão fraco, em comparação a vossa majestade, que será muito fácil vencê-lo, pelo grande número de soldados que arde em desejo de vos patentear a sua afeição no início de vosso reinado. E, se ele se refugiar em alguma cidade, vossa majestade a tomará facilmente, atacando-a com as máquinas e aproximando-se por meio de pontes".
Absalão preferiu esse conselho ao de Aitofel, pois Deus assim o permitiu. E Husai mandou imediatamente avisar o sumo sacerdote Zadoque e a Abiatar, a fim de pedir a Davi que atravessasse incontinenti o Jordão, pois assim Absalão, caso mudasse de idéia, não o poderia alcançar antes de ele passar o rio. Os sumos sacerdotes, sem perder tempo, enviaram aos filhos escondidos fora da cidade uma criada muito fiel para dizer-lhes que partissem naquele mesmo instante e fossem rapidamente informar a Davi da situação.
Eles puseram-se imediatamente a caminho, e, apenas haviam percorrido dois estádios, alguns cavaleiros os viram e foram avisar Absalão. Este enviou alguns homens para prendê-los. Vendo eles os cavaleiros, porém, suspeitaram deles e por isso deixaram a estrada e foram até uma aldeia próxima, de nome Baurim, que está no território de Jerusalém, e ali pediram a uma mulher que os ocultasse. Ela colocou-os num poço, cobrindo a entrada com lã.
Os homens designados para prendê-los chegaram à casa da mulher e perguntaram-lhe se tinha visto dois moços. Ela respondeu que dera de beber a dois rapazes, mas eles haviam partido. Se eles se apressassem, poderiam alcançá-los facilmente. Eles acreditaram e perseguiram-nos por muito tempo, inutilmente. Quando a mulher viu que nada mais havia a temer, retirou-os do poço, e eles continuaram rapidamente a viagem. Encontrando Davi, deram-lhe conta de sua missão. O sábio príncipe não deixou de se valer de tão importante aviso, pois, embora a noite já tivesse caído, atravessou o Jordão naquele mesmo instante, fazendo também passar todos os homens que tinha consigo.
Aitofel, vendo que o conselho de Husai fora preferido ao seu, montou a cavalo e foi a Celmom, que era o seu lugar de nascimento. Reuniu ali os parentes e amigos e falou-lhes do conselho que dera a Absalão, sendo que rei não o quis seguir. Agora ele era um homem perdido, pois Davi venceria e voltaria ao trono. A isso ele acrescentou que preferia morrer como um homem de coragem a perder a vida pelas mãos de um carrasco por ter abandonado Davi e se juntado a Absalão. Depois de assim falar, foi enforcar-se no lugar mais afastado de sua casa, terminando a sua vida do modo que julgou merecer. Seus parentes o sepultaram.
288.  Depois de atravessar o Jordão, Davi foi a Maanaim, que é a mais bela e mais forte de todas as cidades dessa província. Todos os grandes do país receberam-no com extremo afeto, uns por compaixão de sua infelicidade, outros pelo respeito que o seu acúmulo de honra e glória lhes imprimiu no Espírito. Os principais eram: Sobi, príncipe de Amom, Barzilai e Maquir, da província de Gileade. Eles deram a Davi e a todos os seus tudo o que necessitavam para a sua subsistência.
289.  2 Samuel 17. Absalão, após reunir um grande exército, escolheu Amasa, que era seu parente (pois era filho de jotar* e de Abigail, irmã de Sérvia, mãe de joabe, ambas irmãs de Davi), para comandá-lo, em vez de joabe. Então atravessou o Jordão e foi acampar bem próximo de Maanaim. Davi, embora tivesse apenas quatro mil soldados, não quis esperar que Absalão viesse atacá-lo e resolveu antecipar-se. Dividiu as tropas em três partes: deu o comando da primeira a joabe, o da segunda a Abisai e o da terceira a Itai, que muito ele estimava e em quem tinha muita confiança, embora fosse originário de Gate.
Por mais vontade que ele próprio tivesse de tomar parte na luta, os seus chefes e comandantes mais afeiçoados não o permitiram, explicando-lhe com muita prudência que não lhe restaria recurso algum se ele perdesse a batalha estando presente, ao passo que, se não estivesse, os que escapassem poderiam correr até ele e dar-lhe tempo de reunir novas forças. Além do quê, a sua ausência faria os inimigos acreditarem que ele reservara para si uma parte de suas tropas. Davi aceitou essas razões, exortando-os a mostrar naquele dia a sua fidelidade e o seu reconhecimento pelos benefícios recebidos. A isso acrescentou um pedido: se Deus lhes concedesse a vitória, que não tivessem menos cuidado em conservar a vida de Absalão do que a deles própria. Terminou rogando a Deus que lhe fosse favorável.
Os exércitos preparam-se para a batalha numa grande planície. Joabe tinha atrás de si uma floresta. O combate foi sangrento. Praticaram-se de ambos os lados muitos atos de valor. Não havia perigo que os homens fiéis a Davi não desprezassem para fazê-lo recuperar o reino nem esforços que os do partido de Absalão não fizessem para garantir-lhe a coroa e evitar o castigo que merecia por ter ousado tirá-la ao próprio pai. Além disso, sendo este muito mais forte que o inimigo, ser-lhe-ia muito vergonhoso deixar-se vencer. Por outro lado, essa mes-ma desproporção de força redobrava a coragem dos soldados de Davi, porque tornaria a vitória mais gloriosa.
Como eram todos soldados veteranos e dos mais valorosos, infiltraram-se nos batalhões inimigos, desbarataram-nos, puseram-nos em fuga e os perseguiram na floresta e nos refúgios, onde eles pensavam poder salvar-se. Fizeram muitos prisioneiros e mataram muitos outros, morrendo mais gente dessa forma que em combate. Como a estatura de Absalão o denunciava facilmente, puseram-se vários a persegui-lo para o prender. O medo de cair vivo nas mãos deles obrigou-o a fugir a toda velocidade sobre uma mula muito veloz. Mas o vento lhe agitava o cabelo, que era muito comprido e espesso, fazendo-o emaranhar-se nos ramos de uma árvore por baixo da qual ele passava. A mula continuou a correr, e ele ficou pendurado.
Um soldado avisou Joabe imediatamente, o qual ordenou-lhe que fosse matá-lo, prometendo-lhe cinqüenta sidos. Respondeu o soldado: "Como matar o filho do meu rei, quando o mesmo rei nos recomendou que o conservássemos vivo? Não o faria nem mesmo que me désseis dois mil sidos". ]oabe então pediu-lhe que o levasse até o lugar e matou Absalão com três golpes de lança, que lhe feriram o coração. Os escudeiros de Joabe recolheram o corpo, jogaram-no em uma fossa funda e escura e o cobriram com pedras, dando-lhe forma de sepulcro. joabe mandou em seguida tocar a retirada, dizendo que deviam poupar o sangue dos outros irmãos.
Absalão tinha feito elevar no vale chamado Real, distante dois estádios de Jerusalém, uma coluna de mármore com uma inscrição, para que o seu nome se conservasse na memória dos homens, ainda que a sua raça fosse extinta. Ele teve três filhos e uma filha muito bela, de nome Tamar, que desposou o rei Roboão, neto de Davi, da qual teve Abias, que sucedeu ao pai e de quem falaremos mais amplamente a seu tempo.

________________
* Ou Itra.




Que o Santo Espirito do Senhor, ilumine o nosso entendimento
Não perca tempo, Indique esta maravilhosa Leitura
Custo:O Leitor não paga Nada, 
Você APENAS DIVULGA
E COMPARTILHA
.


Reações:

0 Comentários :

Postar um comentário

Deus abençoe seu Comentario

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...