Estamos em Manutenção # We are in Maintenance Bem Vindos a Este Espaço # Welcome to This Space

9 de julho de 2018

História De Israel – Teologia 31.270 (Livro 20 Cap 4) HORRÍVEL INSOLÊNCIA DE UM SOLDADO DAS TROPAS ROMANAS CAUSA EM JERUSALÉM A MORTE DE VINTE MIL JUDEUS. INSOLÊNCIA DE OUTRO SOLDADO.


História De Israel – Teologia 31.270
 
CAPÍTULO 4

HORRÍVEL INSOLÊNCIA DE UM SOLDADO DAS TROPAS ROMANAS CAUSA EM
JERUSALÉM A MORTE DE VINTE MIL JUDEUS.
INSOLÊNCIA DE OUTRO SOLDADO.

841. Aproximava-se a festa da Páscoa, na qual os judeus só comem pão sem fermento, e uma grande multidão de povo acorria de todos os lados. Cumano, para impedir que houvesse alguma desordem, colocou uma companhia de soldados para montar guarda à porta do Templo, como sempre fizeram os seus predecessores em semelhantes ocasiões. No quarto dia da festa, porém, um soldado teve a insolência de pôr a descoberto, diante de todos, o que o pudor e a educação obrigam a esconder. Tão horrível desfaçatez irritou de tal modo o povo, que todos começaram a clamar que não era somente aos judeus que ele injuriava, mas ao próprio Deus, e os mais exaltados começaram a ofender Cumano, dizendo que fora ele quem mandara o soldado cometer tamanha impiedade.
Cumano ficou muito ofendido com essas palavras: todavia, não deixou de exortar o povo a conter a sua exaltação. No entanto, percebendo que eles, em vez de obedecer, ainda lhe diziam mais injúrias, ordenou a todas as tropas que se dirigissem com armas à fortaleza Antônia, que, como já dissemos, ficava sobranceira ao Templo. O povo, então, espantado por ver aproximar-se um tão grande número de soldados, pôs-se em fuga. Como as ruas eram muito estreitas e eles, aterrorizados, imaginavam que os soldados os estavam perseguindo, apertaram-se de tal modo que mais de vinte mil morreram sufocados. Assim, a alegria dessa grande festa converteu-se em tristeza. Cessaram as orações. Abandonaram-se os sacrifícios. Ouviam-se apenas gemidos, lamentos. E a causa de toda essa desolação deveu-se ao impudor sacrílego de um único homem.
842.  Essa tragédia ainda era lamentada quando sobreveio outra confusão. Alguns dos que haviam fugido, na ocasião do tumulto, encontraram a cem estádios de Jerusalém um homem de nome Estêvão, que era doméstico do imperador, assaltaram-no e apoderaram-se de tudo o que ele trazia consigo. Cumano, logo que soube disso, enviou soldados com ordem de devastar as aldeias vizinhas e trazer-lhe aprisionados os principais habitantes. Um soldado encontrou numa dessas aldeias os livros de Moisés e rasgou-os na presença de todos, proferindo ainda mil ofensas contra as nossas leis e contra a nossa nação. Os judeus não puderam tolerar tal ofensa e foram em grande número encontrar-se com Cumano, em Cesaréia, para rogar-lhe que castigasse tão grande injúria, feita antes ao próprio Deus que a eles. O governador, vendo-os tão exaltados e temendo uma revolta, a conselho de amigos mandou matar o soldado que fizera semelhante ultraje às nossas leis e assim acalmou uma grande perturbação.

Que o Santo Espirito do Senhor, ilumine o nosso entendimento
Não perca tempo, Indique esta maravilhosa Leitura
Custo:O Leitor não paga Nada, 
Você APENAS DIVULGA
E COMPARTILHA
.


Reações:

0 Comentários :

Postar um comentário

Deus abençoe seu Comentario