Estamos em Manutenção # We are in Maintenance Bem Vindos a Este Espaço # Welcome to This Space

25 de abril de 2017

Hermenêutica - Teologia 29.07 - O Conceito Bíblico de inspiração

Hermenêutica - Teologia 29.07
 
O CONCEITO BÍBLICO DE INSPIRAÇÃO

Defendemos o ponto de vista ortodoxa sobre a inspiração.

Inspiração Bíblica: A Bíblia conquanto tenha mantido os estilos pessoais de expressão e liberdade dos escritores humanos, é a palavra de Deus em suas fontes originais, toda e totalmente inspirada por Deus mediante o Espírito Santo, sem nenhuma diferença qualificativa na inspiração de qualquer de seus livros, cuja autoridade é assim normativa para a fé e a vida, para a doutrina e proclamação, para pensamento e investigação.

I Cor. 7:10 - “Digo eu, não o Senhor”.

Paulo faz uma distinção entre o que Cristo diz e o que ele (Paulo), diz.

Ensino indireto por meio do Espírito Santo (Paulo era apóstolo).

Não se trata de inspiração e sim, de uma posição:

Algo que havia sido dito por Jesus e algo que apenas Paulo havia falado e não Jesus. Porém, é inspirado do mesmo modo, pois provém de Deus.

(1) A Unicidade da Bíblia

Somente a Bíblia apresenta uma dupla natureza:

1o - Sua origem divina.

2o - Sua dimensão humana.

 Por causa de sua origem divina, a Bíblia é a palavra de Deus (Aqui temos duas grandes posições em relação ao significado de inspiração bíblica, uma posição defende que a Bíblia contem a palavra de Deus, enquanto que outra posição defende que a Bíblia é a palavra de Deus).

1 - Origem Divina

 II Pedro. 1:20

 Iniciativa, ímpeto, impulso

 II Pedro. 1:21

 Vontade, desejo, intenção

 Os profetas bíblicos não tiveram desejo nem iniciativa para escrever as Escrituras Sagradas.

 Ser levado, ser movido.

 Usado na época para dizer o que o vento fazia com um barco a velas, era levado, conduzido pelo vento.

 Do mesmo modo, os profetas eram movidos e conduzidos pelo Espírito Santo.

 II Tim. 3:16

 Inspiração de Deus

 2 - Sua dimensão humana

 a) Linguagem humana (Hebraico, Aramaico e Grego, eram línguas usadas na época, não só pelo povo de Deus, mas também por povos vizinhos).

 b) Características peculiares (os profetas tinham sua própria personalidade e peculiaridades na forma de escrita, e isso foi vertido para seus escritos).

 a) - Linguagem

 A linguagem bíblica é humana.

 A linguagem não é mecânica, não é verbal.

 Podemos concluir com certeza de que o profeta é preservado de erro quando se trata de uma doutrina.

 II Pedro. 1:21 - Homens falaram.

 João 1:1

 “E Deus era o verbo” - Diz que só há um Deus? (Não há Pai e Filho?).

 “E o verbo era um Deus” - um – em grego de fato é um artigo indefinido, porque antes do substantivo Deus não tem artigo.

 “E o verbo era Deus” - o fato de “Deus” vir antes do verbo torna o artigo indefinido anulado.

 Isto é uma regra: Torna-se claramente definido. Sistema este facilmente comprovado em diversos escritos do grego normal da época. Isto comprova que os escritores se valiam das regras de gramática da época para seus escritos em linguagem humana. Daí a importância do conhecimento da época para entender melhor a Bíblia, caso contrário faremos confusão doutrinária. Este é um dos trabalhos da hermenêutica.

 A Bíblia não nos foi dada numa elevada linguagem, acima da compreensão humana, pois se assim fosse perderia sua finalidade que é revelar Deus ao homem.

 Tudo quanto é humano é imperfeito. Por essa razão devemos ter em mente que muitas vezes os escritores escreveram de forma errada, isto é, cometeram certos erros gramaticais. Mas devemos fazer uma clara distinção, veja: 

 - A linguagem da Bíblia é imperfeita

 - A mensagem da Bíblia é perfeita.

 O Senhor falou aos seres humanos em linguagem compreensível (a fim de que os seres humanos possam entender). Devia, portanto, utilizar uma linguagem e idioma da época e não de uma linguagem sobre humana, incompreensível.

 O fato de a linguagem ser imperfeita não afeta a perfeição moral da mensagem.


A Bíblia foi escrita por homens inspirados, mas a maneira em que eles escreveram não é a maneira de pensar e exprimir-se de Deus, notamos isso ao comprovar a variedade de estilos literários entre Paulo e Pedro, entre Pedro e João, entre Marcos e Mateus, e assim por diante. 

Perfeita como o é, sem por isso deixar de ser simples, a Bíblia não corresponde às grandes idéias de Deus. Se Deus pudesse expressar Seu pensamento ao nível de divindade, com certeza o homem finito não poderia compreender esse pensamento.

Os dois Aspectos das Escrituras:

 Moral

 Física

 Bíblia

 Santa (Mensagem)

Imperfeita (Linguagem).

b) - Característicos peculiares dos profetas:

 Atenagóras dizia que Deus usou os profetas assim como um músico usa a sua flauta. Isto seria possível se a inspiração fosse mecânica. Que acredita que até as palavras foram ditadas por Deus. 

 Jeremias foi um dos profetas que mais demonstrou sua personalidade na sua maneira de escrever.

 A personalidade do profeta é toda preservada na sua maneira de escrever.

 Não são as palavras da Bíblia que são inspiradas, mas os homens é que o foram. A inspiração não atua nas palavras do homem. 

 O Criador de todas as idéias pode impressionar mentes diversas com o mesmo pensamento, mas cada um pode exprimi-lo por diferentes maneiras, e ao mesmo tempo, sem contradições - (Tratando-se especificamente dos Evangelhos).

Que o Santo Espirito do Senhor, ilumine o nosso entendimento
Não perca tempo, Indique esta maravilhosa Leitura
Custo:O Leitor não paga Nada, 
Você APENAS DIVULGA
E COMPARTILHA
.



Reações:

0 Comentários :

Postar um comentário

Deus abençoe seu Comentario

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...