Estamos em Manutenção # We are in Maintenance Bem Vindos a Este Espaço # Welcome to This Space

12 de maio de 2018

História De Israel – Teologia 31.154 (Livro 13 Cap 5) O REI ALEXANDRE BALAS PROCURA JÔNATAS AMIGAVELMENTE E DÁ-LHE O CARGO DE SUMO SACERDOTE, VACANTE PELA MORTE DE JUDAS MACABEU, SEU IRMÃO. O REI DEMÉTRIO FAZ-LHE AINDA MAIORES PROMESSAS. OS DOIS REIS TRAVAM UMA BATALHA, E DEMÉTRIO É MORTO.

História De Israel – Teologia 31.154

 
CAPÍTULO 5

O REI ALEXANDRE BALAS PROCURA JÔNATAS AMIGAVELMENTE E DÁ-LHE O
CARGO DE SUMO SACERDOTE, VACANTE PELA MORTE DE JUDAS MACABEU,
SEU IRMÃO. O REI DEMÉTRIO FAZ-LHE AINDA MAIORES PROMESSAS. OS
DOIS REIS TRAVAM UMA BATALHA, E DEMÉTRIO É MORTO.

502. Como o rei Alexandre Balas conhecia os grandes feitos de Jônatas na guerra contra os macedônios e sabia, além disso, o quanto ele fora afligido por Demétrio e por Bacida, general do exército, disse aos seus servidores, logo que soube do oferecimento que esse príncipe lhe fizera, que julgava não poder, em tal conjuntura, contrair uma aliança cujo auxílio lhe fosse mais vantajoso do que com jônatas, porque este, além de seu grande valor e experiência na guerra, tinha motivos particulares para odiar Demétrio, pelo mal que dele havia recebido e pelas angústias suportadas. Se eles julgassem conveniente, faria aliança com ele, contra Demétrio, pois nada haveria de mais útil para eles. Todos aprovaram esse projeto.
Ele escreveu imediatamente a Jônatas a seguinte carta: "O rei Alexandre a Jônatas, seu irmão, saudação. A estima que temos há muito pelo vosso valor e fidelidade nas promessas nos leva a desejar unirmo-nos a vós com uma aliança de amizade, e estamos vos enviando emissários para esse fim. Para dar provas disso, vos constituímos, com a presente, sumo sacerdote, vos recebemos no número de nossos amigos e vos fazemos presente de um traje de púrpura e de uma coroa de ouro, porque não duvidamos que tantos sinais de honra recebidos de nós e unidos ao pedido que fazemos não vos obriguem a desejar reconhecê-los".
Jônatas, depois de receber essa carta, revestiu-se de ornamentos de sumo sacerdote, no dia da festa dos Tabernáculos, quatro anos depois da morte de Judas Macabeu, seu irmão. Durante esse tempo, o cargo esteve vago. Ele então reuniu um grande número de pessoas e mandou forjar uma grande quantidade de armas.
503.  Demétrio soube disso com sensível desprazer, mas culpou a sua própria demora, que dera ocasião a Alexandre de atrair ao seu partido com tantas demonstrações de estima um homem de tanto mérito. Não deixou, porém, de escrever a Jônatas e ao povo, nestes termos: "O rei Demétrio a Jônatas e à nação dos judeus, saudação. Sabendo de que modo resististes às solicitações que os nossos inimigos vos fizeram de violar a nossa aliança, não podemos louvar o bastante a vossa fidelidade nem exortar-vos em demasia a agir sempre desse modo. Podeis contar com a nossa palavra: não há favores que não possais esperar de nós, como recompensa. E, para vos provar o que dissemos, dispensamo-vos da maior parte dos tributos e vos desobrigamos, desde já, do que estáveis acostumados a pagar a nós e aos nossos predecessores, como também do sal, das coroas de ouro de que nos fazeis presentes e do terço das sementes, da metade das frutas das árvores e do imposto por cabeça devido pelos que moram na Judéia e nas três províncias vizinhas, isto é, Samaria, Galiléia e Peréia, e isso para sempre. Queremos ainda que a cidade de Jerusalém, sendo sagrada, desfrute o direito de asilo e seja isenta, com o seu território, das décimas e de toda espécie de imposto. Permitimos a jônatas, vosso sumo sacerdote, que constitua para a guarda da fortaleza de Jerusalém os que mais merecerem a sua confiança, a fim de vô-la conservar. Colocamos em liberdade os judeus aprisionados na guerra e ainda escravizados entre nós. Isentamo-vos de fornecer cavalos para os correios. E nosso desejo que todos os sábados, as festas solenes e os três dias que as precedem sejam dias de liberdade e de franquia, e que os judeus que moram em nossos territórios sejam livres e possam usar armas a nosso serviço, até trinta mil, recebendo o mesmo soldo que os nossos soldados. Eles podem ser postos nas guarnições de nossas praças e recebidos em nossas guardas pessoais, e os seus chefes serão tratados favoravelmente em nossa corte. Permitimos a todos os das três províncias vizinhas de que acabamos de falar que vivam segundo as leis de vossos antepassados e encarregamos o vosso sumo sacerdote de cuidar para que nenhum judeu vá adorar a Deus em outro templo que não o de Jerusalém. Ordenamos que seja tomada de nossas rendas, todos os anos, a soma de cento e cinqüenta mil dracmas de prata, para as despesas dos sacrifícios, e que o que sobrar seja empregado em vosso proveito. Quanto às dez mil dracmas que os reis estavam acostumados a receber do Templo cada ano, nós as deixamos aos sacerdotes e aos outros ministros desse lugar sagrado, porque sabemos que elas lhes pertencem. Proibimos que se atente contra qualquer pessoa que se retirar ao Templo em Jerusalém ou ao oratório que lhe está próximo, ou contra os seus bens, seja pelo que nos deve, seja por qualquer outro motivo. E permitimos que, à nossa custa, repareis o Templo e as muralhas da cidade e que eleveis altas torres. E ainda, se houver na Judéia lugar próprio para se construírem cidadelas, queremos que tal se faça também à nossa custa".
O rei Alexandre, após reunir grandes forças, tanto as tropas tomadas sob pagamento quanto as que na Síria se haviam revoltado contra Demétrio, marchou contra este, e travou-se a batalha. A ala esquerda do exército de Demétrio rompeu a ala direita do de Alexandre, obrigando-o a fugir. Perseguiu-o por muito tempo, com grande mortandade, e saqueou o seu acampamento. Porém, a ala direita de Demétrio, na qual ele combatia, não pôde resistir à ala esquerda de Alexandre, que a atacava. O príncipe fez, nessa ocasião, atos extraordinários de valor. Matou com as próprias mãos muitos inimigos e, enquanto perseguia outros, o seu cavalo caiu num pântano, do qual não pôde mais sair. Assim, a pé, abandonado, rodeado por inimigos e acossado pelas flechas, caiu crivado de feridas, depois de se defender com invencível coragem. Ele reinou onze anos, como já dissemos.


Que o Santo Espirito do Senhor, ilumine o nosso entendimento
Não perca tempo, Indique esta maravilhosa Leitura
Custo:O Leitor não paga Nada, 
Você APENAS DIVULGA
E COMPARTILHA
.


Reações:

0 Comentários :

Postar um comentário

Deus abençoe seu Comentario

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...