Estamos em Manutenção # We are in Maintenance Bem Vindos a Este Espaço # Welcome to This Space

30 de agosto de 2013

Discípulado - Teologia 13.07 - Fazer Discípulos, Não Meramente Convertidos Part 3/6

Discípulado - Teologia 13.07


FAZER DISCÍPULOS, NÃO MERAMENTE CONVERTIDOS PART 3/6

            Que estão a fazer as nossas igrejas, em geral?  O enfoque, quase exclusivo, é no evangelismo--será que não? Estamos a fim de "ganhar almas", de ver as pessoas convertidas. (Isso nas igrejas que ainda têm compromisso com a Bíblia; certas outras não passam de clubes sociais e já estão nas mãos do inimigo.) Nas igrejas "tradicionais" ou "históricas" o novo convertido deve freqüentar os cultos e participar da vida da igreja; querendo ser bom mesmo passa a ser dizimista. Já nas igrejas "pentecostais" ou "renovadas" o novo convertido deve também procurar "a segunda benção"; sendo "batizado no Espírito" aí chegou mesmo. Mas quem está fazendo discípulos no sentido que Jesus mandou? 

Qual será o resultado prático desse enfoque nosso? É exatamente aquele quadro calamitoso que já comentamos: meio mundo sem ouvir uma vez o Evangelho de Cristo; um terço das etnias sequer tem porta-voz de Cristo ainda. É claro. O enfoque de apenas ganhar almas enche as igrejas de crianças, crianças espirituais (não tem nada a ver com a faixa etária da pessoa). Pois bem, e daí?  Daí, criança trabalha? Criança não trabalha, dá trabalho (e como!).  Amados irmãos, estamos diante duma questão do tamanho do mundo, literalmente. Embora possa doer, precisamos avaliar objetiva e corajosamente este assunto--o destino eterno do mundo está em jogo.
Menor Abandonado Não é Negócio!

            Que devemos pensar de um homem que no âmbito físico anda gerando filhos sem ter a menor preocupação com a alimentação, o abrigo, a educação, enfim o cuidado desses filhos? Com toda justiça tacharemos esse homem de irresponsável, de inimigo da nossa sociedade. Sim, porque ele está introduzindo menores abandonados na sociedade, e estatisticamente muitos deles (provavelmente a maioria) passarão a ser marginais e criminosos. Menor abandonado não é negócio! Gostaria de sugerir para a reflexão cuidadosa do leitor que existe uma analogia quase perfeita entre o âmbito físico e o âmbito espiritual nesta área.

Quando trazemos à luz filhos espirituais (por assim falar), mas não os discipulamos, não os levamos a fazer uma entrega sem reservas a Jesus, não os levamos à condição de adultos na fé, então acarretamos uma série de conseqüências negativas.  Que é que mais faz pastor envelhecer antes da hora? São os incrédulos lá fora, ou é a criancice dentro da igreja? É claro que é a criancice espiritual na igreja. (Observar de passagem que às vezes a justiça se faz, pois quando o pastor só prega mensagens evangelísticas o maior culpado é ele mesmo, pois não apascenta as ovelhas. Comida de bode não serve para ovelha.)

Ao fazer evangelismo pessoal, qual a desculpa que mais se ouve quando alguém quer se livrar? Ele não apela para a vida de crente Fulano, Beltrano ou Cicrano? É a criancice espiritual na igreja. E depois tem os "gatos escaldados"--são aqueles que dizem, "já fui crente". Que será que aconteceu com ele? Presumivelmente ouviu a pregação, atendeu ao apelo, seguiu as instruções dadas e deu sinais de vida, participando nas atividades da igreja. Mas aí Satanás deu em cima dele, a vida de crente não foi aquele "mar de rosas", houve mais problemas do que bênçãos.  E como ninguém explicou a razão das coisas, como ninguém o discipulou aí ele começou a desanimar, ficar perplexo, se sentir iludido e abandonado. Daí ele vai se distanciando e quando menos espera já está longe. Agora é "gato escaldado" pois já foi vacinado. Reconquistar uma pessoa assim dá mão de obra, sem comentar todos os reflexos negativos que se espalham pela vizinhança.

Quando pensamos nos povos não alcançados o problema da criancice espiritual nas igrejas se faz sentir de forma bem aguda. Precisamos de soldados, e para tanto criança não serve. Via de regra nem vai se oferecer (ainda bem). Mas acontece que nem todos os que se apresentam, e que acabam sendo enviados aos campos missionários, são discípulos--alguns deles pouco passam de criança. E se criança pega em serviço de homem, por acaso o serviço vai sair bem feito? Dificilmente. A criança, coitada, está fazendo por onde, mas não tem a força, o saber, a experiência e a capacidade dum homem. É criança. O mundo perdido está à espera de adultos, gente grande, discípulos.

Amados irmãos, sejamos pais responsáveis! é simplesmente uma falta de responsabilidade terrível trazer à luz filhos (no ^âmbito espiritual também) sem assumir as conseqüências naturais e necessárias--alimentar, proteger, educar e levar os mesmos à condição de adulto.  Menor abandonado não é negócio. Creio que vem muito ao caso o exemplo do nosso Mestre.


O Exemplo de Cristo, e de Paulo

Como fez o Senhor Jesus durante seus três anos de ministério público aqui na terra? Com quem Ele gastou a maior parte do tempo? Não foi com doze homens? Andaram juntos, comeram juntos, dormiram no mesmo lugar, e estavam a ouvir e observar tudo que o Mestre fazia, durante uns dois anos. E Jesus jogou tudo naquele "time", naqueles homens. Quando Ele voltou para o Céu o futuro da Igreja estava nas mãos deles. Se tivessem fracassado de uma vez a Igreja acabava por lá mesmo, logo no início.  Mesmo quando Jesus lidava com o povo, como fazia? Ele promovia campanha evangelística? Não consta. O que o Texto Sagrado registra é que o que Ele fazia mais era ensinar o povo, às vezes o dia inteiro. Pois Jesus queria discípulos. Em qualquer época o bem-estar da Igreja depende dos discípulos que existirem.

Parece que o Apóstolo Paulo, pelo menos, entendeu o exemplo e a estratégia de Cristo, pois também cuidou de fazer discípulos. Ao despedir-se da igreja de Éfeso ele afirmou, "nada que útil seja deixei de vos anunciar e ensinar, publicamente e de casa em casa" (Atos 20:20), e novamente, "nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus" (Atos 20:27). Paulo não se detinha numa mensagem meramente evangelística--queria discípulos. Tudo indica que a motivação maior ao escrever suas cartas era levar os convertidos à condição de discípulos. Só para exemplificar podemos citar Colossenses 1:28.  Falando de Cristo, Paulo escreve: "A quem anunciamos, admoestando a todo homem e ensinando a todo homem em toda a sabedoria, para que apresentemos todo homem perfeito em Jesus Cristo."

Veja Também:


Que o Santo Espirito do Senhor, ilumine o nosso entendimento
Não perca tempo, Indique esta maravilhosa Leitura
Custo:O Leitor não paga Nada, 
Você APENAS DIVULGA
E COMPARTILHA

Reações:

0 Comentários :

Postar um comentário

Deus abençoe seu Comentario

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...